Hacker que virou informante pode ter sentença adiada nos EUA

‘Sabu’ tinha envolvimento com os grupos Anonymous e LulzSec. Documento da polícia fala de ‘cooperação continuada’ do hacker.

Autoridades norte-americanas enviaram a um tribunal em Nova York um pedido para que a setença de Sabu, hacker conhecido como líder do grupo LulzSec, seja adiada em seis meses. O motivo, segundo o texto, seria a “cooperação contínua” do hacker com as investigações do FBI, a polícia federal dos EUA, desde agosto de 2011.

Sabu é o apelido do hacker Hector Xavier Monsegur, de 28 anos. Ele foi preso em junho de 2011 e se declarou culpado de 12 acusações feitas pelas autoridades norte-americanas dois meses após a prisão. Depois, tornou-se informante da polícia.

Os perfis de Sabu continuaram on-line normalmente até março de 2012, quando o FBI finalmente noticiou publicamente a prisão do hacker. Durante esse período, o hacker estava agindo “sob orientação do FBI”, segundo documentos da polícia, mas seu comportamento on-line aparentemente não havia mudado: ele continuava inclusive criticando o governo e chegou a ceder senhas de sites para hackers brasileiros.

Quando foi preso, Sabu, que tem dois filhos, estava desempregado. A pena máxima somada sobre os crimes dos quais o hacker se declarou culpado é de 124 anos. O documento que pede o adiamento da sentença não informa de que forma Sabu ainda estaria cooperando com as autoridades, nem qual foi o acordo que o levou a se tornar um informante.

LulzSec
O grupo hacker LulzSec esteve ativo durante 50 dias. Foi criado em maio de 2011 e assumiu ataques a sites de empresas como Sony, Fox e PBS, da organização InfraGard, além do Senado dos EUA, do próprio FBI e da CIA.

Em junho de 2011, o LulzSec anunciou seu fim, dizendo que iria se unir ao Anonymous e ao movimento chamado Antisec. A relação com o Anonymous, no entanto, seria mais antiga. Um dos ataques pelos quais Sabu e outros integrantes do LulzSec são acusados, à empresa de segurança HBGary, foi assumido por membros do Anonymous em fevereiro de 2011.

Com a cooperação de Sabu, autoridades conseguiram encontrar outros cinco membros do Anonymous e do LulzSec.

Apesar de o LulzSec ter acabado e de a maioria dos integrantes estar presa, outros hackers resolveram criar o grupo “LulzSec Reborn” como forma de “tributo” ao grupo original. No entanto, a versão “ressuscitada” não conseguiu realizar ataques com o mesmo impacto e relevância. O grupo está aparentemente inativo.

 

Por G1 – Publicado em 22/08/2012

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s