Hacker preso na Romênia quer proteger caixas eletrônicos do mundo

Sentado em sua cela, Valentin Boanta explica orgulhosamente o dispositivo que inventou e que, segundo ele, pode tornar os caixas eletrônicos do mundo à prova até mesmo de criminosos especializados em tecnologia como ele. Boanta, de 33 anos, cumpriu seis meses de uma sentença de cinco anos pelo fornecimento de aparelhos a uma quadrilha de crime organizado usados para esconder dispositivos que podem copiar os dados do cartão de um usuário de caixa eletrônico.

Ele disse que tinha começado a fabricar os dispositivos por pura empolgação e nega ter planejado usá-los em benefício próprio, dizendo que só os vendeu aos outros. Boanta diz que a prisão em 2009 o fez perceber o impacto negativo de suas ações, e sentiu um desejo de fazer as pazes. O episódio também trouxe ao ex-estudante de design industrial um lampejo de inspiração técnica.

“Quando fui pego eu fiquei feliz. Esta libertação abriu o caminho para trabalhar para o lado bom”, disse Boanta. Foi durante seu julgamento que ele começou a trabalhar. O cenário para os produtos de Boanta nos dias de hoje é a cela cheia de livros no nordeste da cidade romena do Vaslui, que ele compartilha com cinco batedores de carteira e ladrões.

“Os caixas eletrônicos têm projetos antigos, assim eles são propensos a vulnerabilidade, são um ponto muito fraco do setor bancário”, disse. “Qualquer caixa eletrônico pode ser invadido por um esquema criminoso. Minha solução de segurança, o SRS, torna um caixa eletrônico inviolável.”

Boanta diz que seu Secure Revolving System pode ser instalado em qualquer caixa eletrônico. Ele permite que o cartão do banco seja inserido primeiro pelo lado mais longo e, em seguida, gira o cartão para impedir que criminosos sejam capazes de acessar a faixa magnética. O sistema devolve o cartão ao seu utilizador com uma rotação em sentido inverso.

O SRS, financiado e desenvolvido por uma empresa de tecnologia perto de Bucareste chamada MB Telecom, é patenteado e foi premiado este ano no Salão Internacional de Invenções de Genebra. O inventor e a companhia ainda não revelaram o quanto ele vai custar, mas insistem que estará disponível em breve.

A Romênia é uma fonte de conhecimento técnico especializado devido a políticas do ditador comunista Nicolae Ceausescu, que apoiou a pesquisa na informática e o ensino técnico. A pirataria digital floresceu no país depois de derrubada violenta de Ceausescu em 1989. Hackers romenos roubaram cerca de 1 bilhão de dólares de contas norte-americanas em 2012, de acordo com a embaixada dos EUA em Bucareste.

 

Por Terra – Publicado em 17/05/2013

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s