CyberWar

Ciberguerra: EUA e Israel são acusados de desenvolverem o Studnex

Para abalar ainda mais a estrutura das relações entre os paises no mundo, o ex-técnico da CIA, Edward Snowden, sustenta que a Agência de Segurança dos Estados Unidos – NSA – e o governo de Israel foram responsáveis pela criação do Studnex, vírus que invadiu infraestrutura de países como o Irã, em 2010. Há suspeita também que tenham criado o Flame, apontado pela UIT como a ‘maior ameaça cibernética’.

O Studnex causou problemas no Irã – país com o qual EUA e Israel têm uma relação bastante conflituosa – onde o vírus atingiu centrífugas usadas no enriquecimento de urânio. A contaminação foi confirmada pelo presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad. “Eles criaram com sucesso problemas em um número limitado de centrífugas com o software que instalaram nos componentes eletrônicos”, afirmou. (mais…)

Anúncios

Pentágono acusa governo e exército da China de comandar ciberataques

Departamento de Defesa dos EUA disse em novo relatório que alguns ataques aparecer estar ‘diretamente ligados’ à China.

O governo e militares da China parecem estar diretamente envolvidos em ciberataques contra os EUA, de acordo com um relatório divulgado na segunda-feira (6) pelo Departamento de Defesa dos Estados Unidos. O documento avalia as capacidades militares da China.

O Departamento de Defesa disse que, no ano passado, “diversos sistemas de computadores ao redor do mundo, incluindo os de propriedade do governo dos EUA, continuaram a ser alvo de invasões, algumas das quais parecem ser atribuídas diretamente ao governo chinês e militares. Essas intrusões se concentraram em coletar informação.”

Os dados roubados são úteis para uma série de entidades chinesas, incluindo indústrias de tecnologia e de defesa, formuladores de políticas dos EUA na China, bem como planejadores militares, disse o relatório. (mais…)

China acusa EUA de ciberataques

Quase 70% dos ataques a sites da segurança chineses teriam origem norte-americana.

As acusações de ciberguerra entre China e EUA se intensificam. Desta vez, quem alega estar sendo atacada é a potência asiática.

Dois dos maiores sites da defesa militar chinesa foram alvo de aproximadamente 144 mil ataques mensais no último ano. Segundo o Ministro da Defesa do país, cerca de 69,2% das agressões vieram dos EUA. (mais…)

Estados Unidos planeja expansão de força militar de cibersegurança

Equipe de 900 pessoas receberia mais quatro mil colaboradores. Pentágono estaria realizando cortes em outras áreas.

O “Cibercomando” dos Estados Unidos, braço de operações de segurança de informação das forças armadas do país, estaria iniciando um processo de expansão que incluiria a inclusão de mais quatro mil colaboradores e também uma nova divisão de tarefas interna, com equipes separadas para defesa, ataque e monitoramento dos próprios sistemas militares. A informação é do site do jornal “The Washington Post”.

Solicitada pelo chefe do departamento e apoiada pelo secretário de defesa, Leon Panetta, a expansão é fundamentada em suspeitas de que a atividade maliciosa na rede com fins militares e de espionagem está aumentando. Além da China, já apontada pelo Pentágono como origem de ataques, o Irã também teria montado uma nova força para operações cibernéticas. (mais…)

Ciberespionagem custa cerca de US$ 17 bilhões aos EUA por ano

Relatórios dizem que tentativas de roubo de tecnologia e de informações sigilosas ou classificadas aumentaram 75% entre 2010 e 2011. E a tendência é piorar.

Ciberespionagem não é algo novo. Levando isso em consideração, o relatório do Serviço de Segurança de Defesa (DSS) sobre os esforços dos países estrangeiros em roubar tecnologia dos EUA, propriedade intelectual, segredos comerciais e informações confidenciais pode soar como apenas mais do mesmo.

O diretor da DSS, Stanley Sims, disse que realmente é mais do mesmo – mas o problema é bem maior. E, em alguns casos, a velha tecnologia de ciberespionagem é agora mais sofisticada. O relatório anual da agência “Targeting U.S. Technologies: A Trend Analysis of Reporting from Defense Industry”, disse que os relatórios da indústria sobre tentativas de roubo de tecnologia e de informações sigilosas ou classificadas aumentou 75% desde os anos fiscais de 2010 e 2011. (mais…)

Além das bombas e foguetes, Israel e Hamas travam guerra eletrônica

À margem dos bombardeios com aviões e foguetes, Israel e o movimento islamita Hamas travam nestes dias uma “ciberguerra” pela internet e por meio de vários meios eletrônicos com os quais, sem causar mortos nem feridos, tentam desmoralizar seu inimigo e entorpecer sua rotina.

Esta guerra, na qual participam os serviços de inteligência e simpatizantes de cada parte em todos os cantos do mundo, inclui ataques piratas a sites oficiais, suplantação de identidades em redes sociais, publicação de materiais por canais como YouTube e difusão de acusações e atrocidades com a finalidade de propaganda. (mais…)

Irã diz que ataque cibernético afeta acesso à internet

DUBAI, 3 Out (Reuters) – Ataques cibernéticos tiveram como alvo a infraestrutura iraniana e empresas de telecomunicação, prejudicando o acesso à internet em todo o país, disse uma autoridade estatal nesta quarta-feira.

O Irã, quinto maior exportador mundial de petróleo, reforçou a segurança cibernética desde que suas centrífugas de enriquecimento de urânio foram atingidas em 2010 pelo vírus de computador Stuxnet, que Teerã acredita ter sido plantado pelos arquirrivais Israel ou Estados Unidos. (mais…)